DINHEIRO ROUBADO DOS SERVIDORES PÚBLICOS DA CIDADE DE TRINDADE-GO ERA USADO PARA BANCAR CAMPANHA ELEITORAL DE ARQUIDONES BITES DO PT

lunedì 06 luglio 73495 azioni

DINHEIRO ROUBADO DOS SERVIDORES PÚBLICOS DA CIDADE DE TRINDADE-GO ERA USADO PARA BANCAR CAMPANHA ELEITORAL DE ARQUIDONES BITES DO PT

REPORTAGEM INVESTIGATIVA direto da cidade de Trindade-GO, a Capital da Fé do Estado de Goiás, desnuda a face oculta da corrupção praticadas pelos dirigentes ARQUIDONES BITES LEÃO LEITE do PT & RUI ALVES DE SOUZA do PCdoB, que sozinhos, sem que ninguém percebesse, conseguiram durante 25 anos desviar todo o dinheiro do imposto sindical dos servidores públicos da prefeitura para pagar despesas pessoais e até campanhas eleitorais.

Nossa reportagem teve acesso exclusivo as pessoas envolvidas e a toda documentação que se encontra em poder da justiça na Corregedoria de Registro Públicos no Fórum local e do Cartório de Registro de Títulos e Documentos de Trindade.

Bastou alguns dias de analise da papelada e conversa com pessoas diversas na cidade para constatar que na entidade representativo de todos os servidores da prefeitura municipal de Trindade por nome de SINDTRINDADE estava tomado por um esquemas de corrupção praticados por RUI ALVES DE SOUZA, filiado e ex presidente do PCdoB e ARQUIDONES BITES BITES LEÃO LEITE presidente atualmente do PT.

Nunca antes na história da cidade de Trindade se teve noticias de um esquema de desvio de dinheiro que pendurasse por tanto tempo. Tudo leva a crer que tudo começou em 1993, ano da fundação do SINDTRINDADE. E a corrupção funcionou dentro deste a sindicato até no último dia 17/06/2018 - quando o ex presidente Valdeli Pereira da Silva que era usado por essa dupla como laranja, decidiu junto aos filiados participantes da Assembléia que o elegeu por mais 2 anos, por fim a essa corrupção praticada contra os servidores públicos de Trindade.

O saqueamento do dinheiro dos servidores era feito por intermédio de uma estrategia que culminava em subornos, varias falsidades ideológicas de documentos, editais, atas e ofícios, junto aos Órgãos que detinha o dinheiro recolhido dos servidores, como a Prefeitura de Trindade e a FESSPUMG, onde, recentemente neste último local, conseguiram pegar e gatar R$ 130.000,00 do dinheiro provenientes do imposto sindical obrigatório dos anos de 2016/2017.

Todo esses valores que esse Sindtrindade recebe por meio do imposto sindical obrigatório em tese, só pode ser gasto em beneficio de todos os servidores, seja ativo, inativos, concursados, contratados ou comissionados, em ações e serviços que venham a ajudar os trabalhadores a terem uma vida melhor. Mas, neste caso aqui, o dinheiro todo recebido foi todo usado para uso pessoal de só dois dirigentes do Sindtrindade.

Detectamos que esse esquema de corrupção durou muitos anos sem que ninguém desconfiasse porque antes de 2016 a entidade que rebebia da prefeitura e distribui os valores deste dinheiro do imposto - a FESSPUMG - só fazia o repasse para o Sinditrindade sem ser por via de transferência de contas em nome do Sindtrindade, e com isso a dupla podia pegar o dinheiro por fora sem que ninguém notasse. E Só no ano passado que a FESPPUNG passou a fazer esse repasse por meio de conta bancaria em nome do Sindtrindade, aí o esquema ficou difícil de ser escondido, porque os valores depositados na conta começaram a deixa rastros e pegadas das mãos dos acusados.

A direção do Sindtrindade precisa de ter 12 membros, más sempre, só dois, RUI ALVES e ARQUIDONES BITES, até então, sabiam deste dinheiro e do direito do Sindtrindade de receber tal quantia do imposto sindical. Por conseguinte, podiam pegar caladinhos por fora e gastar tudo sem que ninguém notasse e sem que tivessem que prestar contas dos valores gastos.

Para formar uma chapa de 12 membros a dupla sempre precisava enganar mais 10 membros, tanto que até o começo do ano nem mesmo o próprio presidente escolhido como laranja pela dupla, sabia de nada, porque os acusados quando precisavam de ter a assinatura do presidente ou de outro membro da direção, partiam para a falsificação barata de assinaturas e documentos junto ao convênio da FESSPUMG e a Prefeitura.

Segundo apuramos, essa contribuição obrigatória foi extinta esse ano pela nova reforma trabalhista, más, até o ano passado ainda existia. E quem fazia o recolhimento sempre no mês de março era a prefeitura de Trindade, por meio de desconto em folha nos contracheques de todos os servidores, no valor de um dia de trabalho, ou seja, filiado ou não ao sindicato, a prefeitura por força de Lei fazia o desconto. E o valor total dava algo em torno de cento e vinte mil reais (R$ 120.000,00) por ano. E o Sindtrindade tinha direito de pegar deste valor sessenta por cento deste total junto a Prefeitura ou no caso em tela junto a FESSPUMG, para investir em favor de todos trabalhadores.

Contudo, é bom salientar que, aparentemente a prefeitura não tem nada de haver com isso. Apesar de que pode haver algum funcionário do controle interno que tenha dando as informações necessárias para a Dupla poder desviar os recursos, em troca de propina. Pois, porque a prefeitura repassava com tanta facilidade esse volume de dinheiro para um sindicato de Goiânia e não passava para o da Cidade que era o legitimo representante dos trabalhadores? Porque mandava todo o dinheiro para uma entidade por nome de FESSPUMG se a própria FESSPUG depois devolvia para o SindTrindade? Não parece ser certo a alegação da prefeitura de que não entregava diretamente para o Sindtrindade porque o sindicato não teria uma certidão do Ministério do Trabalho que permitisse a municipalidade passar o imposto para o mesma. Mas se FESSPUG podia pegar e repassar, porque a Prefeitura não podia passar diretamente então para o Sindtrindade igual fazia depois a FESSPUG? Não cola essa justificativa, parece que trata-se de querer criar um problema para vender a solução.

A prefeitura facilitou de mais e com isso deu a oportunidade para se fazerem os ladrões, RUI ALVES e ARQUIDONES BITES aproveitando desta situação, conseguiram junto a FESSPUMG pegar por fora a parte do Sindtrindade (60) do total do imposto que tinha direito, e com isso sem que ninguém soubesse gastavam todo o dinheiro com despesas pessoais e pagamento de propinas para ter facilitado o trabalho de desvio.

Diante de tanto lamaçal, deu a entender que o presidente e os demais membros do Sindtrindade eram enganados e escolhidos a dedo por esse dupla, tanto que o atual presidente, o senhor VALDELI, que rompeu agora ao descobrir todo o esquema, só foi colocado por RUI ALVES e ARQUIDONES BITES no ano de 2016 para presidir o sindicato, devido pensarem que o mesmo era analfabeto. Achavam que poderiam enganar o presidente e os diretores por todo o tempo, mas, esqueceram que não se pode enganar a todos, o tempo todo.

O presidente Valdeli relatou aos funcionários do Cartório que passou a desconfiar da dupla quando sem pedir cargo nenhum, lhe foi oferecido a presidência, e ao tomar posse em 2016, perguntou ao então RUI ALVES, o que o Sindicato tinha de patrimônio? E recebeu como resposta, a amostra de um livro ata e uma pasta velha. Negando até mesmo que o Sindtrindade tivesse qualquer cartão de banco ou quantia em dinheiro depositado em banco.

Ainda que para ter movimentação financeira de conta jurídica, sejam necessárias as assinaturas conjunta do presidente e do tesoureiro, mesmo assim, RUI ALVES e ARQUIDONES BITES conseguiram burlar a norma e pegar um cartão com direito a saque, e juntos retiravam nos caixas eletrônicos valores diário de R$ 1.500,00, até conseguirem limpar tudo da conta do Sindtrindade. Fato só agora descoberto depois que o presidente Valdeli conseguiu um extrato bancário no Banco Itaú de Trindade que constavam dos valores depositados pela FESSPUMG, bem como os saques indevidos feitos pela dupla.

BOMBA - Descobrimos conversando em off com a Advogada do Sindicato o exato momento em que o presidente Valdeli, ao indagar e gravar por telefone do porque das retiradas indevidas da conta do sindicato, os mesmos confessaram dentre outras coisas que um dos saques no valor de R$ 15.000,00 mil (quinze mil reais) foi para que o ex vice-presidente, ARQUIDONES BITES, pudesse pagar suas despesas pessoais de campanha eleitorais do ano passado (2017), quando o mesmo concorreu e perdeu as eleições para presidente estadual do SINTEGO - Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado de Goiás.

Consta dos documentos no cartório e na justiça que a atual direção eleita que desmascarou e derrotou a dupla também desaprovou a prestação de contas dos mesmo por ter sido apresentadas de forma fictícia dos últimos dois anos e com isso a assembleia aprovou liminarmente o afastamento dos mesmo até a expulsão final de Rui e Arquidones do Sindicato.

Tudo deve ser encaminhado ao MP que certamente irá fazer uma devassa e analise judicial para punir os acusados, porque, além de tudo isso, tem muita fumaça indicando que os valores do imposto sindical obrigatório dos anos anteriores que não passaram pela conta corrente do Sindtrindade pode chegar a mais de meio milhão de reais, (R$ 500.000,00).

Pois, nota-se que, o ex tesoureiro tem patrimônio pessoal incompatível com a renda que ganha como professor, possuindo uma chácara com piscina, comprada em plena crise econômica de 2014, no valor de mais de quinhentos mil reais (R$ 500.000,00), localizada numa das melhores áreas de Trindade, ao lado da famosa chácara do Felinho.

Conversarmos em off com um dos funcionários do Cartório, o mesmo disse que os acusados tentaram induzir o Cartório a erro tentando registrar a toque de caixa uma falsa eleição, que contou só com vinte (20) filiados participantes. A chapa impostora unidos para o crime era composta pelo seguintes membros: Rui Alves de Souza - presidente; Fabio Leandro de Souza - vice-presidente; Arquidones Bites Leão Leite - tesoutreiro; Helena Marques da Silva - Secretária Geral; Viviane Alves de Sousa - Secretária Diversa; Terezinha de Fátima Bessa e Virginia da Silva Camargo - Suplentes da Diretoria, Leonardo Junior Alves de Souza, Elves Sartunino de Carvalho e Lucimeire José Borges - Conselho Fiscal; Valdivino Vaz dos Santos; Vaina Maria Da Silva e Elvira Pagliani Fonseca - Suplentes Conselho Fiscal.

Já na verdadeira eleição por meios legais que derrotou e denunciou esses acusados contou com a participação massiva dos filiados, os quais sem dúvidas são os verdadeiros representantes deste sindicato. Sendo esses sócios dignos de louvores ao não aceitarem compactuarem com esse esquema de corrupção. Por isso merecem todos os credito da justiça e de toda categoria para ajudar a levantar esse importante sindicato..

Ficou claro ao ler a Ata da eleição que os filiados que participaram da Assembleia Geral Extraditaria que derrotou essa dupla ficaram revoltados com tudo isso, ainda mais que, os envolvidos na tramoia se quer tiveram a coragem de comparecerem perante a Assembleia, para olho no olho, dizerem, onde foram parar todo o dinheiro que eles sumiram das contas do Sindtrindade.

Descobrimos que os acusados ao invés de fazerem presente na Assembleia, fugiram covardemente, tentando sem sucesso fazer essa outra eleição clandestina. Um verdadeiro vexame, pois, supostamente os que compareceram nesta falsa eleição, de RUI ALVES e ARQUIDONES BITES, quase todos são parentes de Rui e professores da rede municipal de ensino da prefeitura de Trindade; e a maioria dos professores são ligados ao BITES, o qual tem grande força de manipulação sobre os mesmos, até então. Certamente os presentes nesta fictícia eleição não sabiam do mar de lama que estavam por ajudar a esconder.

Apuramos que o edital que convocou tal eleição fictícia, não tinha nem quórum para ser convocada pela diretoria. Pois, se quer tinha a assinatura do presidente no edital, das 3 assinaturas das 4 necessárias tinha uma clara falsificação de assinatura de uma filiada por nome de Viviane Sousa Alves, que afirmou para outro filiado por escrito via WhatsApp, não saber nem que era da direção do sindicato, muito menos que tinha assinado qualquer Edital.

O pessoal do Cartorário que recebeu as documentações desta falsa eleição feita pela dupla ficaram horrorizados, e já anularam os documentos desta falsa eleição depois de encaminhar para o Juiz corregedor a noticia de tentativa de fraude para apurar e punir os falsificadores, bastando um exame grafotécnico, para vir a desmascarar esses criminosos.

Em resumo geral, concluímos que esse dinheiro pode ter abastecido outras campanhas, até mesmo eleições para prefeito e vereadores em que os dois comparsas participaram. Teve até recentemente a campanha contra os colégios militares em Trindade. E agora ficou provando mais uma vez quem estava falando a verdade e quem são verdadeiramente esses falsos paladinos da moral e da ética que com dinheiro dos servidores pagaram pessoas para vaiarem o prefeito de Trindade, nas Escolas centrais da cidade. Será que agora os alunos e servidores da educação vão vaiar quem mesmo?

Nossa reportagem só chegou a este fato por meio de uma denuncia anonima através de uma pessoa que não quis revelar o nome por medo de represarias, mas deixou escapar o choro e a felicidade dizendo que a justiça tarda, mas, não falha, afirmando: "AGORA O EX PREFEITO PEDRO PEREIRA JÁ PODE REPOUSAR EM PAZ. PORQUE NUNCA UM PREFEITO FOI TÃO HUMILHADO COMO FOI POR ESSA DUPLA DE LADRÕES". 'ESSES DOIS TENTARAM ENTERRAR O PREFEITO VIVO EM PLENA PRAÇA PÚBLICA'.

Nossa reportagem até o momento não conseguiu ter contatos com os acusados e está aberta para caso queiram se manisfestarem. Em contato por telefone com o atual presidente que também é filiado ao PT, o senhor Valdeli Pereira da Silva, o mesmo se mostrou acuado e com medo da repercussão, se limitando a dizer que ele e os partidos dos acusados não tem nada de haver com os desvios. Afirmou também que, foi ele que descobriu os desvios com a ajuda de outro filiado, e que ao descobrir denunciou tudo aos filiados presentes na Assembleia que elegeu a nova Diretoria. Disse por fim que, não vai dar detalhes para não atrapalhar as investigações e que só vai se manisfestar na justiça por meio de sua advogada.

Repórter especial JRM- O Homem da Farda Preta - para o Goiânia Urgente, aqui! agora!

Fonte: WordPressGoianiaUrgente


Raccomandato